5 sinais de que é hora de trocar os pneus do carro

    Powered by Rock Convert
    Facebook - Comentários

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe
    Powered by Rock Convert

    Uma das principais responsabilidades dos proprietários está em reconhecer quando trocar o pneu do carro. Apesar de parecer uma atribuição simples, vale lembrar dos riscos aos passageiros de veículos com pneus gastos. Inclusive, rodar nessas condições é considerada uma infração grave, sujeita a multa e perda de 5 pontos na carteira. Mas você sabe verificar os sinais de que é hora de fazer a troca?

    Caso não, fique tranquilo! Afinal, essa é uma preocupação comum a boa parte dos condutores e é por causa disso que preparamos este artigo, com os principais indicativos ao momento da troca dos pneus. Sem mais, acompanhe!

    Os 5 sinais que apontam quando trocar o pneu do carro

    Com o passar do tempo, mesmo os condutores mais jovens passam a se habituar com os componentes de seu veículo, identificando irregularidades e sintomas que apontam para um desgaste avançado. E é por isso que ressaltamos que os pneus representam um ponto que merece a sua atenção.

    Esses itens são determinantes para garantir a sua segurança nas estradas e, por conta disso, não podem ser negligenciados! Sendo assim, acompanhe esta leitura para descobrir os principais indícios ao momento da substituição e valorize a sua segurança no trânsito. Confira!

    1. Analisando o desgaste

    O primeiro sinal verificado ao avaliar quando trocar o pneu do carro, é se ele está desgastado. Após milhares de quilômetros rodados, é normal que o artefato fique careca, já que a banda de rodagem está sempre em contato com o asfalto. Entretanto, hábitos ruins de direção — como circular sempre em altíssima velocidade e fazer freadas e arrancadas bruscas — favorecem o desgaste prematuro.

    Sendo assim, verifique o indicador TWI (Tread Wear Indicator), também conhecido como barra de desgaste. Os TWIs são ressaltos de borracha com 1,6 mm de altura que ficam nos sulcos dos pneus. Se você tiver dificuldade em encontrá-los, procure por marcas indicativas em volta do item. Quando a altura da borracha (banda de rodagem) estiver desgastada ao ponto de ficar nivelada com o TWI, é hora de fazer a troca.

    2. Avaliando os danos

    Podemos causar danos ao pneu, principalmente, quando passamos sobre buracos ou objetos com superfícies pontiagudas. Enquanto problemas simples — como um pequeno furo — podem ser reparados, cortes nas laterais costumam significar que a estrutura já está prejudicada e será preciso comprar um pneu novo.

    Por isso, verifique sempre se existe alguma rachadura, perfuração ou outro tipo de deformação — como bolhas. E procure a ajuda de um profissional para saber se os danos podem ser reparados ou não.

    3. Verificando o envelhecimento

    Além dos hábitos de condução que já citamos, há outros fatores que afetam a durabilidade do pneu. Aspectos como temperatura, pressão e condições do local onde o carro passa a maior parte do tempo estacionado podem contribuir para o seu envelhecimento.

    Pode ser que os sinais de um pneu velho não sejam visíveis, mas a capacidade de sentir vibrações estranhas ao volante é capaz de indicar se esses itens estão comprometidos.

    4. Observando a validade

    Simplesmente uma das formas mais tradicionais para avaliar a durabilidade de um produto ou componente. Em média de mercado, é bastante comum que as fabricantes apontem 5 anos de validade, atestando a qualidade estrutural da borracha por esse período.

    No entanto, vale lembrar que esse valor pode flutuar de acordo com as condições de uso. Veículos utilizados com maior frequência, em terrenos mais rigorosos e acidentados, tendem a apresentar uma durabilidade menor. O contrário acontece no cenário em que há menos uso e melhores condições de deslocamento, aumentando a durabilidade estimada.

    5. Atentando-se aos pneus dianteiros

    De maneira geral, é bastante comum que os proprietários substituam apenas os pneus com desgaste avançado, salvando aqueles que ainda apresentam boas condições. No entanto, isso não pode acontecer quando são os pneus dianteiros os mais prejudicados. O recomendado é que se substitua todo o conjunto. Afinal de contas, contar com pneus diferentes em dimensão, desgaste e ranhura pode aumentar a probabilidade de sofrer com aquaplanagens ou derrapagens.

    As melhores práticas para aumentar a durabilidade dos pneus

    Certo! Agora você já conhece os principais indícios para o momento da troca. Mas, afinal de contas, quais são as melhores práticas para evitar que esse momento chegue? Pensando nisso, compilamos três dicas que conseguem estender a durabilidade do componente, ampliando sua vida útil. Veja!

    Calibragem

    Tão simples e tão negligenciada! A calibragem é um procedimento que pode ser realizado gratuitamente em qualquer posto de gasolina. Aqui, vale perceber que pneus despressurizados sofrem sob o peso do veículo, danificando as estruturas tanto do pneu quanto da roda.

    Para além disso, pneus murchos também tendem a prejudicar a dirigibilidade e aumentar o consumo do combustível. Para evitar, basta que você calibre todos os quatro pneus quinzenalmente, seguindo a orientação expressa no manual do seu veículo. E não esqueça de calibrar o estepe! Ele não precisa da mesma atenção quinzenal, mas deve apresentar condições ideais no momento de necessidade.

    Rodízio

    Essa prática consiste em rotacionar os pneus entre as diferentes rodas, equilibrando o desgaste entre os quatro componentes. Naturalmente, alguns pneus tendem a se desgastar mais rápido por conta do choque imediato contra buracos e demais irregularidades.

    Prudência

    Já aqui, temos uma prática relativa ao condutor. Para tanto, basta que você evite atravessar buracos ou circular em terrenos instáveis. Outra prática que deve ser evitada é o direcionamento dos pneus ao meio-fio, em uma manobra de estacionamento.

    De toda forma, o mais indicado é sempre fazer as manutenções preventivas. Ao realizarem esse serviço, os especialistas terão as melhores ferramentas para verificar se os pneus estão em boas condições. Eles saberão se é necessário realizar algum procedimento (alinhamento, balanceamento etc.) para melhorar a vida útil desses equipamentos ou se a única alternativa é a troca.

    Portanto, quando você perceber que está na hora de trocar os pneus, leve o seu veículo até uma loja especializada e escolha uma marca preocupada com a sua segurança e que preze pela qualidade e durabilidade do seu pneu: procure um revendedor autorizado Goodyear.

    Gostou deste conteúdo elencando os principais sintomas para quando trocar o pneu do carro? Então aproveite a sua curiosidade no tema para ler nosso artigo especial, em que ensinamos como escolher o melhor pneu para o seu veículo!

    Facebook - Comentários

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe