Como evitar a aquaplanagem?

    Facebook - Comentários

    Compartilhe

    Sumário

    A direção automotiva sempre nutriu alguns receios, principalmente aos condutores recém-habilitados. Os medos são inúmeros, variando bastante de uma pessoa à outra. De toda maneira, podemos listar os mais recorrentes, a exemplo da baliza de ré, a parada em aclives, a condução na rodovia e, por fim, a aquaplanagem.

    De fato, entre todas as ocasiões listadas, a última é a mais perigosa, justamente pela sua interferência direta na estabilidade do veículo. Está ansioso para conhecer mais sobre o tema, aprendendo como evitar e reagir a essa situação? Então, acompanhe!

    O que é a aquaplanagem?

    Basicamente, é a manifestação física que ocorre quando um veículo plana sobre uma seção encharcada da pista. No meio técnico, também se refere ao fenômeno como hidroplanagem. Perceba que trata-se de uma situação que ocorre apenas ao combinarmos dois elementos: alta velocidade e pista molhada!

    O evento ocorre sempre que um veículo atravessar uma seção alagada à velocidade considerável, gerando uma pequena onda na frente dos pneus e impedindo que eles mantenham o contato com o solo. Momentaneamente, o carro perderá o seu controle devido à película de água entre os pneus e o pavimento. Nesse instante, o carro plana sobre a água.

    A aquaplanagem é uma possibilidade em todas as estradas. No entanto, tornam-se ainda mais perigosas quando antecedem uma curva. Afinal de contas, quando o veículo estiver planando, todas as tentativas bruscas de direcioná-lo poderão falhar.

    Quais suas principais causas?

    Agora que você entende no que consiste o fenômeno, chegou o momento de compreender as situações que o causam. Dessa maneira, pode-se identificar os períodos em que há maior probabilidade de aquaplanagem, possibilitando uma ação antecedente ao sufoco.

    Abaixo, listamos as principais causas dessa situação. Confira!

    Chuvas

    Tecnicamente, as aquaplanagens podem ser ocasionadas por qualquer circunstância que encharque a pista. No entanto, todos sabemos como as chuvas de verão podem ser severas ao longo do país.

    Some a isso o fato de que uma parte da pavimentação brasileira é irregular, contando com inúmeras micro-crateras por sua extensão. Assim, sempre que chover, a irregularidade formará um recipiente capaz de armazenar a água, concentrando-a em algumas seções da pista, as poças.

    Velocidade

    Esse é um fator determinante à aquaplanagem, pois quanto maior a velocidade na via, menor será a área de contato entre os pneus e o solo, prejudicando diretamente a sua possibilidade de controlar o carro com eficiência.

    Quando mencionamos alta velocidade, queremos dizer qualquer deslocamento acima de 80 km/h, um limite habitual às estradas brasileiras. Abaixo, veja o percentual de contato entre o veículo e o asfalto, aferidos em um carro com pneus novos, recém-instalados:

    • 100% de contato ao trafegar a 2 km/h;
    • 84% trafegando a 75 km/h;
    • 79% trafegando a 100 km/h.

    Pneus

    Caso você já tenha se assustado com a ideia de perder um quinto do controle do veículo a meros 100 km/h, temos más notícias! Perceba que as estimativas acima consideram pneus novos, com sulcos profundos e plenamente adequado às estradas.

    Tratando-se de pneus usados e, possivelmente, carecas, as estatísticas apontam:

    • 100% de contato ao trafegar a 2 km/h;
    • 72% trafegando a 75 km/h;
    • 11% trafegando a 100 km/h.

    Onze por cento de contato com o solo! Aqui, a queda na eficiência é muito mais drástica conforme o aumento da velocidade. Inclusive, pode-se concluir que acima dos 100 km/h o condutor têm uma probabilidade quase nula de controle, estando à mercê da força inercial que desloca o veículo sobre a camada de água.

    Como reagir?

    Como você pôde perceber, todas as três causas são correlacionadas. Inclusive, é praticamente impossível aquaplanar sem atender a uma dessas três. A pista pode ser alagada por fatores externos às chuvas e os pneus serem novos, mas é tecnicamente impossível sofrer uma aquaplanagem em baixíssima velocidade.

    De qualquer forma, quando se está planando não adianta recorrer ao instinto de frear bruscamente para reduzir o seu movimento. A baixa velocidade é uma precaução, em vez de uma reação imediata. Agora, entenda de uma vez por todas como reagir em uma aquaplanagem!

    Tenha calma

    Esse é o sentimento que menos virá à cabeça em um momento de descontrole. Mas você precisará manter a calma aos próximos passos, combatendo as reações precipitadas geradas pelo impulso.

    Seja sutil

    Lembra-se da área de contato? Mesmo no pior dos cenários, você terá alguma parcela de controle sobre o veículo, ainda que a condução esteja anestesiada. Ao perceber estar sobre uma aquaplanagem, você deverá diminuir a sua velocidade com muita delicadeza.

    Para tanto, comece interrompendo a aceleração por completo, simplesmente tirando o seu pé desse pedal. Nesse momento, mais velocidade poderá retirar o carro de uma trajetória previsível.

    Depois, passe a pressionar o freio com bastante suavidade, evitando uma pisada bruta. Entenda que uma frenagem grosseira fará com que as rodas patinem, prejudicando a situação ao desestabilizar o carro de vez.

    Mantenha o controle

    Agora, você deverá retomar as “rédeas” sobre o veículo. Com delicadeza, mova o volante — lentamente — de um lado para o outro, fazendo com que os pneus se movimentem sobre a superfície do pavimento, tornando a ganhar contato com o solo ao eliminarem a película de água sob eles. Pronto! Você reconquistou a tração do seu carro e, consequentemente, a sua segurança.

    Como os diferentes pneus podem interferir na aquaplanagem?

    Apesar de anteceder uma situação como essa, a escolha dos pneus também interfere na probabilidade de aquaplanagem. Afinal de contas, quanto mais profundos os sulcos desenhados na superfície desse componente, melhor sua capacidade de escoamento da água acumulada.

    Por isso é tão importante compreender o Índice Treadwear ao momento da escolha, identificando quais conjuntos apresentam a melhor durabilidade. Além disso, lembre-se de que os pneus gastos sempre apresentarão sulcos de baixíssima profundidade, estando vulneráveis a qualquer acúmulo, motivo pelo qual são tão ineficazes em alta velocidade.

    Por fim, entendemos que a segurança nas estradas sempre será uma combinação harmoniosa entre a consciência do condutor com a condição de seu veículo.

    Sente-se mais seguro para lidar com a aquaplanagem? Então não perca a oportunidade de equipar o seu carro com os melhores pneus do mercado. Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar!

    Facebook - Comentários

    Compartilhe